ABCEM

Notícias

Indústria Impulsiona Participação das Mulheres no Mercado
10/03/2017 | Fonte: IBRAM

No Pará, em empresas do setor mineral, por exemplo, elas representam 18% do quadro de funcionários e ocupam 30% dos cargos de liderança.

De acordo com um relatório divulgado pelo Fórum Econômico Mundial, somente em 2095 será possível atingir globalmente um nível de paridade justo em termos econômicos e de oportunidades entre homens e mulheres, mantendo o ritmo atual. No Brasil, a questão é ainda mais complexa: o país ocupa apenas a 124º posição no ranking da organização em igualdade de salários, realizado entre 142 países.

Nesse processo, é importante que as empresas deem o primeiro passo, identificando a diversidade e a igualdade de salários como um de seus valores. Na Imerys, mineradora que atua com caulim nos municípios de Barcarena e Ipixuna do Pará, há zelo pela diversidade em todas as áreas da empresa, desde a operação até a administração. No setor de Controle de Qualidade, por exemplo, a coordenadora Marlene Damázio vê a presença igual de homens e mulheres como algo bastante estratégico: “É importante que a empresa incentive a diversidade. Dentro da mineração há uma predominância masculina e ver cada dia mais mulheres traz equilíbrio para o ambiente”.

Empresas com mulheres em cargos de liderança, como a Marlene, possuem ainda mais vantagens:alcançam resultados financeiros até 50% superiores. É o que diz a pesquisa realizada pela Great Place To Work (GPTW) consultoria em gestão empresarial. Para Marlene, esse incentivo não deve cessar: “Somos responsáveis pela nossa carreira, mas nunca deixei de incentivar minha equipe a almejar cargos de liderança, principalmente quando a empresa apoia a diversidade”.

Oportunidade de crescimento

Na Alubar Metais e Cabos, fabricante de vergalhões e cabos elétricos de alumínio e cobre, também sediada em Barcarena as mulheres representam 18% do quadro de colaboradores da empresa. Elas ocupam cargos administrativos ou operacionais, mostrando grandes habilidades nas atividades que desempenham.

A assistente de Produção, Andréia Cunha, é um bom exemplo disso. Há quatro anos na fábrica, ela trabalha de turno e encara a missão de monitorar as atividades na área de embalagem. “É um trabalho que exige extrema atenção, pois tenho que verificar se todas as máquinas estão em conformidade, checar qual a quantidade necessária de carretéis para os cabos elétricos, acompanhar a pesagem final do produto e confirmar se está etiquetado corretamente. É desafiador e ao mesmo tempo gratificante, pois confiaram uma missão bem importante a mim e busco cumpri-la com muita dedicação”, diz.

A colaboradora afirma que sempre teve o respeito dos colegas homens e se sente muito valorizada profissionalmente. “A Alubar nos oferece um clima muito bom de trabalho e sempre dá oportunidades de crescimento e capacitação. Comecei como operadora e depois fui promovida à assistente. A empresa também me apoia com o curso superior de Gestão de Produção Industrial pela Uninter, arcando com 100% do investimento. Fico muito feliz por todas essas oportunidades e acredito num futuro ainda mais promissor na fábrica”, declara.

Sem medo dos desafios

Em Juruti, no oeste do Pará, as mulheres também conquistaram importantes espaços. Na Alcoa, empresa que opera mina de bauxita no município, elas representam 18,8% de mulheres no efetivo total da Unidade. Além disso, há uma importante participação em cargos de nível técnico, de engenharia e liderança, tendo 30% de força feminina nessas posições de influência.

Franciole Medeiros, gerente de ABS e Contratos da Alcoa Juruti, trabalha há 11 anos na companhia. Ela revela que a empresa sempre lhe deu oportunidade para ter voz e tratar de igual seus pares e lideranças. “Tenho orgulho de trabalhar em uma empresa que não faz distinção entre sexos. Isso me deixou à vontade para superar medos e acreditar no meu potencial. Em 2007, enfrentei o maior desafio da minha carreira. Naquela época, fui transferida de São Luís, no Maranhão, para Juruti, uma localidade nova onde teríamos que implantar todos os processos do zero com pessoas novas de várias culturas e principalmente longe da família. Foi um desafio maravilhoso ver uma empresa nascer e fazer parte disso”, conta.

Para as mulheres que ainda têm receio de assumir posições estratégias dentro de empresas, ela dá um importante incentivo. “É necessário se preparar, estudar, desenvolver suas habilidades, principalmente de relacionamento e negociação. Estar atenta às oportunidades e mostrar interesse em assumir novos desafios”, recomenda.


voltar
Twitter
Facebook

Compartilhe

Cursos ABCEM

Galpões Industriais em Aço

05 e 06 de maio e 19 e 20 de maio de 2017

Inscreva-se online

saiba mais

Projeto e Montagem de Pontes Metálicas

02 e 03 de junho e 09 e 10 de junho de 2017

Inscreva-se online

saiba mais
Banner
Banner
Banner