Atenção

Fechar

Notícias

Alto-forno 1 da Usiminas retoma atividades após quatro meses parado por conta da pandemia ABCEM, 27/08/2020

Presidente da República e outras autoridades prestigiaram o evento

O alto-forno 1 da Usiminas, em Ipatinga (MG), teve suas operações retomadas oficialmente, nesta quarta-feira, 26 de agosto. O equipamento, que tem capacidade de produção de cerca de 2 mil toneladas diárias de ferro gusa, estava paralisado desde abril, por conta da readequação da usina devido à pandemia do novo Coronavírus. A aciaria 1 da unidade também foi retomada, ampliando a produção de aço bruto na planta.

O evento de retomada do equipamento, considerado um símbolo da siderurgia, contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro e do governador de Minas Gerais, Romeu Zema, entre outras autoridades. Na oportunidade, o presidente Bolsonaro disse que a empresa é "um orgulho nacional" e lembrou que a retomada do alto forno faz parte do processo de recuperação econômica do país, afetada pela pandemia de covid-19. Ele destacou que apesar da crise econômica mundial provocada pelo novo Coronavírus, o Brasil é um dos países que melhor lidou com a questão: "A tendência era de que a economia brasileira crescesse 3% este ano, mas veio o imprevisto. Só que o governo fez a sua parte. O Brasil foi um dos países que melhor lidou com estas questões".

Alto-forno 1 

Em operação desde 1962, quando foi inaugurado pelo então presidente da República João Goulart, o AF1 é um símbolo da Usiminas e do crescimento econômico e social da região do Vale do Aço. Da primeira corrida até a paralisação em abril, o alto-forno 1 produziu cerca 31 milhões de toneladas de gusa. O religamento atual marca o início da 9ª campanha do forno.

Desde o início da pandemia, a Usiminas se preparou e adotou medidas de adequação a um cenário de retração rápida e significativa da economia. Agora, a empresa retoma, de maneira ágil e segura, as operações do AF-1 da Usina de Ipatinga.

De acordo com o presidente da Usiminas, Sergio Leite, a retomada do alto-forno 1 é também uma mensagem de otimismo e que reforça o compromisso com a perenidade da companhia e o desenvolvimento do país. “Esse religamento tem um significado especial para nós por marcar a confiança da Usiminas no futuro. O ponto mais agudo da crise, vivido em abril, ficou para trás e diversos indicadores sinalizam para uma retomada gradual da economia ao longo do segundo semestre a do próximo ano”, avalia Leite.

A expectativa em relação à retomada da economia é reforçada pelo setor siderúrgico, conforme aponta indicador do Instituto Aço Brasil, entidade que reúne as principais empresas produtoras de aço do país. O Índice de Confiança da Indústria do Aço (ICIA) divulgado pelo Instituto aumentou 8,0 pontos neste mês de agosto atingindo um patamar de 70,8 pontos e indicando a melhora da percepção dos CEO’s das empresas associadas à entidade sobre a situação atual. Com esse resultado, o ICIA ultrapassou o patamar pré-pandemia da Covid-19 – 70,2 pontos em fevereiro –  e atingiu o segundo maior patamar da série histórica, iniciada em abril de 2019.

Além do alto-forno 1 e a aciaria 1, que tiveram suas operações retomadas, a Usina de Ipatinga tem outros dois altos-fornos e mais uma aciaria. O alto-forno 2, também com capacidade para 600 mi ton/ano, segue com as atividades suspensas momentaneamente. O alto-forno 3, que tem capacidade para produzir 2,2 milhões ton/ano, manteve a produção inalterada.

Fontes: Usiminas e Agência Brasil


Voltar

Inscreva-se