Atenção

Fechar

Notícias

Boletim Mensal de Energia ABCEM, 13/04/2020

Destaques do Boletim Mensal de Energia 

  • Produção de petróleo com forte alta

A produção de petróleo cresceu 20,3% em janeiro de 2020, sobre igual mês de 2019 (média de 7,6% em 2019). A produção de gás natural teve alta de 22,6% no mês (média de 9,5% em 2019). Estas altas vão proporcionar superávit de energia do Brasil acima de 10% em 2020.
O ano inicia ruim para mineração e metalurgia. A produção de aço inicia o ano com recuo de 11,1%. A exportação de minério de ferro teve baixa de 12,4% em janeiro e a de pelotas, baixa de 70%.

  •  Oferta de hidráulica tem forte baixa

A oferta de energia hidráulica tem baixa de 10% em janeiro, contribuindo para a elevação das tarifas, em razão de maiores custos da geração térmica. Já a geração de Itaipu teve alta de 2,2%.

  • Derivados de petróleo com forte alta

O consumo aparente de derivados de petróleo cresceu 5,2% (excluindo etanol e biodiesel), mostrando forte aumento na disponibilidade de nafta petroquímica. O consumo de diesel (biodiesel incluso) teve alta de 4,4%, e o consumo de gasolina C, de1,4%. O consumo de etanol hidratado cresceu 2,2%. A demanda total de gás natural teve alta de 25,1%, com redução de 4,7% no consumo industrial e aumento de 113% na geração elétrica. O consumo de energia em veículos leves, do ciclo Otto (gasolina, etanol e gás natural), cresceu 1,4% no ano (4,5% em 2019, -1,2% em 2018, +1,7% em 2017, -1,1% em 2016 e +6,2% em 2014).

  •  Consumo de eletricidade em baixa

O consumo de eletricidade, sem autoprodutores, recuou 0,2% em janeiro. Um verão mais ameno exigiu menor uso de ar condicionado, ao contrário de janeiro de 2019. O Consumo residencial cresceu 0,8%, o comercial recuou 0,7% e o industrial também recuou em 1,4%.

  • Produção de biodiesel em alta

A produção de biodiesel teve alta de 2,6% em janeiro. Nos anos anteriores as taxas foram de: 10,3% em 2019, 25% em 2018, 12,9% em 2017, -3,6% em 2016 e 15% em 2015. A produção de celulose recuou 1,6% em janeiro (-6,0% em 2019, e positivas de 7,1%
em 2018, 3,8% em 2017, 7,8% em 2016, 8,5% em 2015 e 9,2% em 2014). O consumo de cimento inicia o ano com taxa negativa de 0,8% (+2,6% nos doze meses de 2019). 

  • Tarifas de eletricidade sobem

A tarifa média nacional de eletricidade residencial teve alta de 2,4% em janeiro (8,0% em 2019, 12,6% em 2018, estável em 2017 e 5,8% em 2016). A comercial, de 3,0% (7,4% em 2019, 12,4% em 2018, 0,7% em 2017 e 5,7% em 2016), e a industrial, de 1,6% (5,7% em 2019, 13,4% em 2018, 1,2% em 2017 e 3,6% em 2016).

 

Confira todo o material na íntegra aqui.


Voltar

Inscreva-se