Atenção

Fechar

Notícias

Notícias

Brafer fornece 15 mil toneladas de estruturas metálicas para estaleiro da Base Naval da Marinha Agência Brasil, 29/01/2021

A Brafer Construções Metálicas, associada da ABCEM, concluiu, em novembro do ano passado, mais uma etapa de sua participação na construção das instalações do Estaleiro da Base Naval da Marinha, um empreendimento no programa Prosub - Programa de Desenvolvimento de Submarinos. Foram 15 mil toneladas de estruturas em aço, fornecidas para os galpões metálicos deste projeto.

O Prosub foi lançado em 2008 e contempla, além dos submarinos, a construção de um complexo de infraestrutura industrial e de apoio à operação, o Complexo Naval e Industrial de Itaguaí (CNI), que engloba o Estaleiro de Construção (ESC) e o Estaleiro de Manutenção (ESM), a Base de Submarinos da Ilha da Madeira (BSIM), o Complexo de Manutenção Especializada (CME) e a Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas (UFEM), no município de Itaguaí, região metropolitana do Rio.

Submarinos - O Brasil lançou, em dezembro de 2020, o submarino Humaitá da nova classe Riachuelo, garantindo maior controle sobre a faixa litorânea conhecida como Amazônia Azul. O Humaitá é o segundo da classe, fruto da cooperação tecnológica com a França, que já lançou ao mar o submarino Riachuelo, este em fase de testes finais, com vistas a ser entregue para operação à Marinha em 2021, quando estará armado e pronto para cumprir suas missões.

No total, estão planejados quatro submarinos do tipo convencional, movidos à bateria, recarregadas por motor a diesel. O Toneleiro, terceiro da série, tem previsão de lançamento em dezembro de 2021, seguido pelo último convencional, o Angostura, planejado para ser lançado em dezembro de 2022.

Marinha trabalha na construção do submarino Toneleiro no Complexo Naval e Industrial de Itaguaí (CNI) - Tomaz Silva/Agência Brasil

Os submarinos convencionais têm uma capacidade operativa de até 80 dias no mar, podendo ficar submersos por até cinco dias, sem necessidade de vir à tona para influxo de ar aos motores a diesel, o que garante um grande raio de ação, podendo ir sem paradas, por exemplo, do Rio de Janeiro ao Rio Grande do Sul.

Fonte: Agência Brasil


Voltar

Inscreva-se