Atenção

Fechar

Notícias

Blog

Dicas para um planejamento de obra eficaz ABCEM, 27/10/2022

 

Para a realização de um bom planejamento de obra, é importante reunir todas as informações possíveis sobre o projeto, assim como considerar possíveis imprevistos que possam surgir para tornar a execução mais fiel possível ao que foi programado. 

Contar com profissionais qualificados, que possuam capacidade de solucionar problemas com eficiência e assertividade, também é importante, assim como um bom cronograma para guiar o projeto.

O Blog ABCEM trouxe algumas etapas de um plano de obras eficiente, confira abaixo!

Levantamento de informações e análise do local

Considerar as informações de campo é importante em qualquer projeto, seja ele arquitetônico, estrutural, de instalações elétricas ou hidráulicas, por isso é preciso avaliar os aspectos do terreno e das proximidades antes de iniciar os próximos passos do planejamento, evitando, assim, problemas futuros que podem ocorrer durante a execução da obra, como presença de vegetação ou alagamentos.

Concepção do projeto arquitetônico

Esta etapa tem contato direto com o arquiteto responsável pelo projeto. Aqui, são definidas as possibilidades com base nos desejos do cliente, no orçamento estabelecido e na viabilidade do que será definido. Ao final, todas as soluções criadas para as demandas existentes são passadas e explicadas ao cliente.

A obra é definida com base no contrato, nas leis e no plano diretor local, entendendo os requisitos do usuário previstos na NBR 15575, que tratam de fatores, como:

  • Estanqueidade da água;
  • Desempenho térmico;
  • Acústico e lumínico;
  • Saúde;
  • Higiene;
  • Qualidade do ar;
  • Funcionalidade e acessibilidade;
  • Conforto tátil e antropodinâmico.

Em todo projeto, é necessário seguir as normas e legislações locais, pois cada lugar exige requisitos diferentes. Isso, muitas vezes, inviabiliza que um mesmo projeto seja usado em cenários distintos, tanto pela questão do terreno quanto por aspectos jurídicos.

Elaboração dos desenhos

É o momento de realizar a criação dos desenhos da edificação por meio de ferramentas digitais. Eles são baseados considerando a execução do projeto, contendo o máximo de detalhes e informações possíveis e um material descritivo incluindo todos os itens que serão utilizados. O documento também pode ter especificações de cada ambiente, como as cores das paredes.

Revisão

Revisar o que foi descrito antes da aprovação é importante para correção de possíveis erros e também para a retirada de dúvidas, por isso o ideal é realizar uma análise em conjunto das partes estrutural e arquitetônica, evitando assim o confronto das duas e alinhando os pilares. Essa compatibilização também deve constar no planejamento.

Legalização

A execução da obra só começa a partir da aprovação da prefeitura, por isso, esta etapa deve ser bem planejada e toda a documentação deve estar devidamente estruturada.

Muitas vezes, utilizando o projeto base, já é possível preparar os arquivos da obra para apresentar à prefeitura. Por isso, na fase de concepção, é fundamental alinhar-se ao plano diretor e outras diretrizes da cidade para que a proposta seja aprovada sem necessidade de alterações ou correções. Durante esse processo, também devem ser pagas algumas taxas, de acordo com as leis locais.

Caso não seja conduzida corretamente, pode acarretar no atraso do início da construção da obra, inclusive, a edificação pode ficar suscetível a sofrer embargos.

Definição de prazos

Cada etapa do projeto deve ter um prazo definido para sua entrega, por isso o ideal é criar um calendário de realização para guiar as entregas para o cliente e também para execução de cada tarefa da equipe de trabalhadores.

Com prazos realistas, as revisões durante o andamento da obra se tornam menos frequentes e o cronograma final estabelecido não é afetado. Caso aconteçam imprevistos, é importante que a estruturação tenha soluções rápidas para resolver.

Orçamento

O orçamento deve ser baseado nos gastos com materiais e mão de obra, levando em conta a quantidade e, no caso dos profissionais, o tempo de produção.

Existem ferramentas para que esse processo seja realizado de forma mais assertiva, como a tabela SINAPI, que disponibiliza dados sobre custos de referência para a elaboração de avaliação na construção civil, e o Sienge, que permite utilizar informações do projeto desenvolvido em BIM para gerar orçamentos automáticos.

Alguns dos itens que não podem ser esquecidos para um orçamento de obra eficiente são o cálculo do BDI, elemento orçamentário específico para cada obra que ajuda a conseguir um preço de venda final melhor, levando em conta os custos indiretos, como tributos municipais, estaduais e margem de incerteza, e ROI, para saber, efetivamente, qual foi o lucro do empreendimento.

Com o orçamento definido, estimando o lucro desejado, é possível obter o preço de venda do empreendimento.

Execução e acompanhamento

Com tudo devidamente planejado, é o momento da execução e da obra finalmente tomar forma. Esta etapa está totalmente ligada às fases anteriores, já que durante a operação podem acontecer revisões do projeto, de prazos, custos e até mudanças na estrutura.

A realização tende a ser facilitada, baseada nas etapas anteriores bem consolidadas.

Pós-obra

Após a execução e entrega, deve-se pensar em estratégias para o atendimento ao cliente, caso ele precise de algum auxílio no pós-obra ou tenha considerações a fazer do trabalho concluído.

A prioridade durante todo o processo deve ser executar tudo conforme as normas e definições de contrato, assim evita-se obstáculos após a entrega do projeto, minimizando ou até excluindo gastos com o pós-obra. Porém, nem sempre é possível, por isso é importante definir uma estratégia para resolver possíveis problemas com eficiência.

 


Voltar

Leia mais:

Notícias

Notícias

Inscreva-se

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.